Layout Por Melanie Costa Image Map

16 de jan de 2013

O Diário De Julieta Capitulo 5 e 6


O Diário De Julieta Capitulo 5
Na aula de biologia, o Bieber sempre que dava desviava os olhos do fígado,na nossa mesa, e olhava para mim. Sem contar nas cantadas e nas indiretas que ele mandava a cada minuto.
O combinado foi que em uma aula um ficava encarregado da parte nojenta enquanto o outro fazia as anotações. Um dia ele e no outro eu, assim ficaria mais justo. Mas como ele não mandava muito bem em biologia eu tinha que ficar dando assistência. Fico imaginando se fosse ele sozinho… seria capaz do fígado ter ganhado vida para fugir das mãos dele. Se bem que isso nem seria preciso, pois ele pegava o órgão de uma forma tão desajeitava que sempre ele escorregava e caia no refratário novamente.
–Vai com calma, se não daqui a pouco esse fígado vai parar no colo daquela loira, vestida dos pés a cabeça de rosa, bem na nossa frente – eu ri alto. – Se não vai é parar bem em cima da peruca que o professor tem na cabeça. - eu gargalhava enquanto tocava na mão dele para mostrar como deveria segurar.
–Muito engraçada. Se bem que a loira não ia ficar nada brava comigo, ela me adora e daria tudo pra ter um encontro comigo. - ele deu um sorriso sexy - Já o professor… acho que ele não iria aceitar se eu o convidasse para um encontro, neh? – ele gargalhava junto comigo enquanto tentávamos conter o fígado escorregadio.
–É… finalmente um que não cai nos seus encantos. – eu não conseguia parar de rir da situação.
Até que o Justin olha para nossas mãos juntas, vai parando de rir aos poucos, vira-se para mim e pergunta:
– Então você também é vulnerável aos meus encantos?
–NÃO… claro que não! Sou do time do professor, você não causa nenhum efeito em mim. – falei rapidamente enquanto olhava dentro dos olhos deles, tentando provar não só pra ele como para eu mesma de que eu estava falando a verdade.
–Senhor Bieber e Senhorita Monteiro, os dois deveriam estar a caminho da próxima aula. O sinal já tocou, não repararam? – O professor nos encarava seriamente, louco para que fossemos logo embora daquela sala.
–Desculpe Senhor Davis. Já estamos nos mandando. – Justin disse e me puxavou para fora da sala.
–Nossa que rabugento ele é – eu comentei com Justin, que já nos levava para a próxima aula: Matemática.
A aula de matemática foi tranqüila. Na de sociologia nós só debatemos superficialmente sobre o conteúdo a ser ensinado este ano: Relações Humanas. Iríamos ver e filosofar sobre a maneira com que o homem se relaciona com seus semelhantes, até que achei interessante. Já na aula de Ed. Física o treinador era rígido demais, nos fez correr entorno da quadra dezenas de vezes.
Eu já estava exausta e o Justin continuava intacto ao meu lado, chegava até a conversar comigo tranquilamente, por mais patadas que eu desse ele não parava de falar. Mas o mais estranho foi os olhares que algumas meninas fúteis e os valentões do time de basquete mandavam para nós dois. Até mesmo o Eric nos olhou de um modo diferente.
Depois dessa corrida ridícula. Os meninos iriam treinar basquete e as meninas jogavam vôlei, como eu não tenho equilíbrio e sou em desastre no esporte, elas me deixaram sentada no banco de reserva. As meninas que eram do grupo de torcida iriam para um canto e montavam suas coreografias. Cada vez que o Bieber fazia um cesta elas festejavam com vontade e se insinuavam para ele ao mesmo tempo. Já ele me encarava com uma expressão de “eu sou o maior”, eu apenas ria da situação.
Depois do treino Eric se sentou ao meu lado e disse:
–Então é você a próxima da lista?
–Não estou entendendo… - fiz uma cara de confusa
–O Bieber… você! Aaa Ju… qual é, todos repararam. Ele está dando literalmente em cima de você.
–Mas quem disse que eu to dando trela pra ele? Nós nunca iríamos ter nada juntos, n-a-d-a. Ele realmente não faz meu tipo. – expliquei para Eric a fim de tirar dele os maus pensamentos.
–Só estou te avisando… ele não é pra você. Vai te fazer sofrer. – Eric pega minha mãe diz calmamente pra mim.
–Ué não era você quem disse que ele era rude só às vezes? Está contradizendo o que me disse no refeitório?
–Não! Ele é legal, mas não o bastante pra você. Digamos que ele adora todasmulheres ao mesmo tempo, sabe? – ele sorriu pra mim.
–Eu soube disso desde a primeira vez que vi ele, Eric. Relaxa uma coisa que não sou é boba. – retribuí o sorriso e dei um beijo no seu rosto. – Obrigada por se preocupar.
Ele abre novamente aquele sorriso para mim e eu digo:
– Seu sorriso é contagiante, sabia? Você é um grande amigo. Adorei te conhecer.
Nos abraçamos ainda sorrindo.
O Diário De Julieta Capitulo 6
Me despedi do Eric, afinal as aulas já tinham acabado. Peguei meu ipod, aumentei o volume e fui para o vestuário me trocar e depois partir para casa. Estava morta e a música alta era confortante e anestésica. Tomei um banho rapidamente, estava louca para relaxar na minha cama.
Saio do chuveiro e vou ao meu armário, do vestuário, em busca de uma roupa. É.. eu tinha dois armários nesse colégio, que demais! Enquanto me troco um grupo de meninas se aproximam e uma delas me empurra. Percebo que são as meninas da torcida e foi a líder quem me empurrou. Ela era a mesma loira da aula de Biologia, aquela vestida toda de rosa, cujo nome é Cloe. Com um olhar frio e uma voz séria ela me diz:
– Posso saber o que foi aquilo na quadra e no laboratório de biologia?
– Bom... na quadra eu apenas me exercitei e na aula de biologia eu estava só cumprindo o meu dever de anotar as observações sobre aquele fígado. – disse ingênua, não vendo a hora de elas irem embora e me deixarem quieta.
–Você entendeu muito bem o que eu quis dizer. Você e o Bieber... se explique, estou esperando. – disse a Cloe.
– Eu não tenho nada pra te explicar, mas se você quer tanto saber eu não tenho NADA com ele. Não sou egoísta e metida como vocês dois são. – resolvi cuspir tudo na cara daquela louca
– Acho bom... ele já tem dona a muito tempo. E que fique bem claro: não é uma novata que vai mudar alguma coisa entre nós. – ela disse e revirou os olhos
– Fica tranqüila a novata aqui não está com nenhum interesse no seu príncipe encantado, ok?! – disse enquanto terminava de colocar a minha blusa, pegava minha bolsa e ia embora.
Precisava abstrair um pouco, então coloquei meus fones no ouvido e sai do vestuário cantando alegremente a música “The One That Got Away” da Katy Perry. Passo pelo corredor, vou até o meu armário para pegar uns livros e depois ir onde estava o ônibus. Mas sinto uma mão quente pousar em meu ombro direito. Por conta do susto que levei o armário se fechou e acabou fazendo um barulho alto.
–Cloe será que dá pra você me deixar em paz? Eu já disse que não estou nem um pouco a fim dele! – eu disse enquanto me virava de frente para a pessoa que me assustou.
–Cloe? Porque você achou que eu fosse a Cloe? E de quem que você não está nem um pouco a fim? – o Justin me fez mil perguntas e me olhava de forma confusa.
– Aaaa Bieber... é só você! – suspirei aliviada
–Não vai responder minhas perguntas? O que a Cloe ia querer com você? – ele insistia que eu esclarecesse
– Nada demais... ela é uma doida, só isso. – disse para ele e me virei pra ir embora.
–Calma... eu vim aqui atrás de você e você me dá as costas?- ele riu e me puxou pelo braço para impedir que eu partisse.
–Então diga logo o que quer? Preciso partir, não quero atrasar o ônibus e fazer o motorista, Marck, me esperar. – Falei o encarando e mexendo a mão para que ele falasse logo.
– Que música era essa que você estava cantando? Ficou linda na sua voz, sabia? – ele disse se aproximando de mim.
–Fala sério Bieber...- eu suspirei - Se chama “The One That Got Away”. Dá pra me diz o que quer de uma vez? – eu disse e depositei minhas duas mãos em seu peito, tentando fazer com que ficássemos distantes um do outro.
– Ok, vou falar algo sério então. – ele notou que não queria que se aproximasse de mim e deu um passo para trás. – O seu ônibus já partiu e já faz um tempinho, você não vai conseguir alcançar.
–Não acredito! Droga... culpa da Cloe que me atrasou no vestuário. – disse e xinguei ela mentalmente.
– Calma gata... o Justin aqui te salvará! Me acompanhe – ele estendeu a mão e entrelaçou nossos braços.
Ele me levou até o estacionamento e parou de andar, ficando de frente para uma vaga com um carro esportivo lindo. Eu soltei meu braço do dele, me aproximei do carro e disse:
–Não acredito... Você tem um 370Z Roadster, vinho, com 332 cavalos e um motor 3.7 V6 DOHC! – eu falava eufórica e tocava no capô da frente.
– É isso mesmo! Gostou né? – ele sorri e abriu a porta do passageiro- Agora é só se sentar e aproveitar a viagem.
–Espera aí... você acha mesmo que eu vou entra no seu carro? Logo eu vou aceitar carona do idiota da cafeteria que também é capitão do time de basquete... nem pensar. Vai saber quantas meninas já não entraram aí e também o que aconteceu nesses bancos de couro – em seguida fiz cara de nojo – Acho melhor nem pensar.
–Larga de ser fresca e entra logo ou vai querer ir andando sozinha pra sua casa? Pelo jeito deve ser perto daqui, já que está tão disposta assim.
–Não... nem um pouco. É por isso que venho de ônibus porque se não eu vinha a pé mesmo.
–Então entra – ele veio até mim, pegou minha mão e me ajudou a entrar no carro.
–Mas não pense besteira hein... só aceitei sua carona porque não tinha outra escapatória. – eu disse com o objetivo de afastar seus pensamentos inadequados.
–Ok... Senhorita Julieta Monteiro. – ele fechou a porta, deu a volta, entrou no carro, abaixou a capota e ligou o rádio que tocava justamente a música “The One That Got Away”- Aaa... e só pra você saber, nesses bancos rolaram coisas que nem a sua cabecinha repleta de imaginação fértil seria capaz de imaginar. – ele riu, levou sua mão até minha cabeça e a cutucou com o dedo de maneira delicada, assim como na aula de biologia, e em seguida deu a partida tirando o carro da vaga e indo até a rua.
com 5 comentarios continuo !! 



5 comentários:

Comente :)